Enquanto faziam uma cena ou duas
por debaixo desse véu,
Eu me encontrava velejando por calmas marés
Parcialmente entorpecido
Com o leva e trás desse navio naufragado.

Havia tinta for todo o lado
Cores de flores
Sem impulsos, lascados e apática
Que me excitavam à morte
Em prazeres que se escondiam horrores
Vibrando em temores
Talvez são esses sabores
Que são escondidas todas as dores.

Mas o que seria esses movimentos em impulso
Que me adentra aos velhos hábitos
Consagrados por aqueles que sentem,
porém não sentidos por aqueles que por ti mentem.
Talvez seja somente o relógio que está ao contrário
Ou sua camiseta do avesso.
Ou talvez não seja mesmo nada disso, seja somente
o faísca restante do pulsante vibrar que ainda permanece aceso,

e ficará até acabar.

 

psychoative
Enter a caption

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s