morte ao altruísmo

Pensamos e passamos em contorno dessas viagens que se repetem esperando assim, que um algo extraordinário caia em nosso colo nos avisando sobre o amanhã.

Não seria por falta de perspectiva ou visão, tão pouco a ausência de ideais que nos são jogados assim, no meio dessa estrada sem aparente fim – com os olhos abertos, digo com tanta precisão quanto a de vossa imagem que se assemelha por volta: é a falta de movimento, interno e externo, meu amigo.

Mas a gente se ajuda, seguramos nossas mãos para caminharmos juntos e por fim, encontrar no caminho jóias perdidas ou não vistas, pelo simples prazer de caminhar em sua companhia –

Advertisements

tridimensional fantasy

If it’s seemingly unbalanced for your side
i must go ahead and take some of this for my own benefit

don’t get this whole situation wrong just because you don’t understand it
but look, i found this
this golden dynamite that plays along with time
that plays along in my hands
and in my head-
so i make a wish
then climb along with daisy
to bring our sides together
with flowers in our heads
fire in our eyes
and big hooded capes that covers our whole body in disguise
and
nothing
more

now take your dirty foot from this mess and move on

cut them off

…”i already can’t recall your name”

– what a great joke, which makes me laugh in tears
wearing my so proud human being dress all over me

welcome, welcome to the land of pretend
and now please, take a sit and watch me while I destroy myself with
a smoke in one hand and a bottle in the other
watch how i learn how to cheat, lie and joke love around

watch me trying
failing
losing my mind and finally collecting all pieces together

but what is this circus all about – have you had your fun today?
raise your glass high and you will know what i’m talking about

off.jpg

  • i see, i see
    i understand.
    i can dress myself in your coat and it’s all on me; but you know, i no longer need this chair anymore, i can make my own stage and perform accordingly to my wish and command

    “i’d rather hold your torny hands than see your fall at front stage”

    no my love, you are not alone
    you are wonderful

dominó de ondas em dó menor

as marés aqui por volta, estão por demasia mansas
ondas pequenas, sem muito pudor
consiga-se até ouvir o barulho do vento que sopra pequenas águas em ondas
curtas e macias, sem muita vontade de se mostrarem por aí –

viva-se então, nessa calmaria
de ondas pequenas e brisa suave
quase que pedindo aos céus por tempestade
parte de si, jura que é disso mesmo que lhe falta
outra parte porém agonia-se em silêncio
como se esperasse por sua vez de ser
enquanto sua imagem diversa sai com o troféu premiado
do cenário que foi ajustado
por essa própria vontade louca
de encontrar algum tesouro precioso
com esses braços que se dão abraços

eclipse in shapes

that was spreading fast
I could barely hold in my hands
gather everything together so it can’t be missing parts

sharp
empty
cold and dark

you should mark your traits on the floor so you can’t get lost once again

vagrant missing messager on the road
looking for a meaning hiding underground
searching for those lines of empty books that connects together
with the little help of your wonder hand
that lines up with the black ink
forming shapes parallels
that says nothing but a vague coordination
for the very well known windy road

curves that curse those who dare
to go forward in this sweet despair
that comes crossing your way and go
for the little to no curiosity of them to know
what’s been kept and well hide
on the surface that stands by our very side

IMG_5512.JPG

 

frio à meio termo

não te faça oco por moda ou aplausos interno. Crê em mim, não é bonito. Entregue-te corpo e alma e o que vier contigo, será sincero. Não acostume-te com meios termos, frases a metade e sinfonias com pausas longas – a vida é curta demais para imparcialidade e ignorância

violino na janela

quando a lua chega e toca a sacada
e a rua em eterno breu é clariada com a tocada
das luzes de veno em setim prateado
fazendo com que as estrelas cantem em rima sutil
piscando em deleite com o som de sua doce serenata

luz e melodia
em rima e sintonia
em movimentos não contados
que são apenas cantados
melodicamente em sincronia
com seu fogo interno que implora a exalar
seu caleidoscopio musical
que faz parte desse eterno momento serenal

em cantar
valsar
dançar
e aparecer em um ponto de fuga
que apenas clarece a seu inspirante pesar